• (62) 3249-8883 / (64) 3453-8883
  • redacao@gazetadoestado.com.br

Nacional

Adolescente ajuda padrasto a matar a própria mãe por estar apaixonada por ele

Publicado

em


source
Mulher foi morta pelo marido
Reprodução

Mulher foi morta pelo marido

Uma adolescente de 16 anos que foi presa suspeita de participar do assassinato da mãe e da irmã de 9 anos, em Pompeia, no interior de São Paulo. Ela teria combinado o crime com o padrasto por estar apaixonada por ele.

“Ela (a adolescente) tinha problemas com a mãe. Ela não gostava da mãe, conforme relatou. Aí ficou apaixonada pelo cara (padrasto) e combinaram de matar a mãe”, diz o delegado Cláudio Anunciato Filho, em entrevista ao portal G1.

“Primeiro ele (o padrasto) matou a mulher porque a filha não gostava da mãe, e já tinha rixa com ela. Eles estavam apaixonados. E aí depois mataram a menina, não porque ninguém gostava da menina, mas para ocultar o crime. A morte da menina foi para não vir à tona o primeiro homicídio”, esclarece o delegado.

Entenda 

Cristiane Pedroso dos Santos Arena, de 34 anos, e a filha Karoline Vitória dos Santos Guimarães, de apenas 9 anos, estavam desaparecidas desde o fim do ano passado. Os corpos das duas foram encontrados enterrados no quintal da casa onde moravam, no dia 2 de fevereiro deste ano. Para ocultar o crime, foi colocado um piso de concreto em cima das vítimas.

READ  Enterro de Maguito Vilela acontece nesta quinta em Jataí; veja vídeo do velório

Você viu?

No dia em que os corpos foram localizados, a filha de 16 anos da vítima foi presa por ser suspeita.

Já o padrasto Fabrício Buim Arena Belinato, de 36 anos, foi capturado na última segunda-feira (8), em Campo Grande, após ter fugido após os crimes.

Depoimento do padrasto

Fabrício detalhou que matou a esposa durante uma briga com um golpe de faca. Segundo ele, a ação foi legítima defesa. Após um mês de matar a esposa, ele disse que matou a criança asfixiada porque ela estaria questionando sobre a presença da mãe e poderia contar para alguém sobre o caso.

Investigação

A Polícia Civil trabalha com a linha de que a adolescente presa mantinha um envolvimento amoroso com o padrasto. Por isso, além do duplo homicídio e ocultação de cadáver, Fabrício é investigado por estupro de vulnerável pois teria abusado sexualmente da enteada mais velha há vários anos.

A adolescente negou participação no crime, mas a polícia acredita que ela deu cobertura ao padrasto e ajudou a enterrar os corpos. “Ele (padrasto) confirmou que mantinha um relacionamento com ela (a adolescente) a partir do momento que ela fez 15 anos, em 2019”, disse o delegado.

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA