• redacao@gazetadoestado.com.br

Economia

Aneel busca evitar que redução de tarifas incentive aumento no consumo

Publicado

em


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer evitar que a redução de até 32% na conta de luz incentive as pessoas a aumentarem o consumo de energia elétrica, como se estivessem aproveitando uma liquidação de ponta de estoque. Para o diretor-geral da Aneel, Nelson Hübner, é importante que o brasileiro aproveite a oportunidade para fazer com que essa economia no custo da energia seja ainda maior. ?Basta que o consumo também seja reduzido?, sugere Hübner.
?Não é por [a energia] estar mais barata que os consumidores devem deixar de se preocupar em economizar. Uma coisa boa pode ficar ainda melhor?, disse ele. A redução nas tarifas está em vigor desde 24 de janeiro, mas só a partir do próximo dia 24 ? após se completar o primeiro ciclo de cobrança com as novas tarifas ? é que o desconto será repassado integralmente à conta de luz. Até então, o benefício é apenas proporcional aos dias contabilizados com os novos valores.
Os consumidores residenciais serão beneficiados com uma redução de 18% na tarifa. Para a indústria, o comércio, a agricultura e o setor de serviços, a redução chegará a até 32%.
Na opinião do diretor da Aneel, a possibilidade de a diminuição do custo da energia implicar aumento do consumo não vai contra o discurso de sustentabilidade do governo federal. ?Isso não é verdade porque o custo da tarifa é muito elevado no Brasil?, disse Hübnser, ao defender os efeitos dessa redução para o custo Brasil.
A fim de apresentar algumas dicas para estimular a redução do consumo de energia elétrica, e evitar que a redução do preço acabe estimulando maior consumo, a Aneel lançou no último dia 14, em seu site, a cartilha Use a Energia com Inteligência.

READ  Espaço Verde é o novo salão de eventos de Corumbaíba

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA