• (62) 3249-8883 / (64) 3453-8883
  • redacao@gazetadoestado.com.br

Esportes

Comissão de Ética abre processo e Leco pode ser expulso do São Paulo

Publicados

em


A Comissão de Ética do São Paulo protocolou nesta segunda-feira a abertura de um processo para investigar a responsabilidade do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, em uma ação judicial que custou R$ 4,6 milhões aos cofres do clube. Leco será intimado a se defender em 15 dias e corre o risco de ser expulso do Conselho Deliberativo, o que resultaria no impeachment.

Presidida por José Roberto Ópice Blum, a comissão havia recebido no fim de março uma representação assinada por 12 conselheiros que exigiam que Leco ressarcisse o São Paulo pelo pagamento dos quase R$ 5 milhões no ano passado. Tal quantia se deve ao não pagamento de uma comissão no valor de R$ 732 mil pela compra do lateral-esquerdo Jorginho Paulista, em 2002. Então diretor de futebol, Leco assinou um documento autorizando a quitação da comissão para a Prazan Comercial Ltda, que intermediou o negócio. De acordo com o requerimento, Leco contrariou o presidente Marcelo Portugal Gouvêa e feriu o artigo 86 do estatuto social do Tricolor, de que só o presidente ou o diretor financeiro têm autonomia para autorizar um pagamento como esse. A Prazan foi à Justiça e os R$ 732 mil viraram R$ 4,6 milhões exatamente 13 anos depois. O pagamento foi feito em agosto do ano passado por Carlos Miguel Aidar.

READ  Em tempos de coronavírus, como higienizar os acessórios depois de sair de casa

Procurado pelo Blog, Leco foi comedido. ?Desconheço e não quero comentar nada?, afirmou o presidente tricolor.

Os autores do requerimento contra Leco são: Erovan Thadeu, Joandre Antonio Ferraz, Newton do Chapéu, Denis Ormund, Pedro Biagio, Alberto Carlos Ferreira, Benedito de Souza, Joaquim José Lacerda, Kalef João Francisco, Roberto Perruce, Clovis Botelho e Renê Isidro Ramires. A representação, que tinha três páginas, se transformou em um calhamaço com mais de 500 páginas antes de ser protocolada na secretaria do Tricolor, na tarde desta segunda-feira. Agora, o documento inclui o processo judicial condenando o São Paulo a desembolsar os R$ 4,6 milhões. A tendência é de que a Comissão de Ética emita um parecer até abril do ano que vem. Caso julgue Leco culpado, o Conselho Deliberativo do São Paulo se reunirá na sequência para votar por uma punição. As opções são: advertência, suspensão ou exclusão do conselho.

O ex-presidente Carlos Miguel Aidar e o ex-diretor de futebol foram condenados neste ano à punição mais pesada depois de brigarem no restaurante de um hotel paulistano. Aidar ainda era investigado a respeito de irregularidades.

READ  MEC vai propor nova estrutura para cursos de pedagogia

(ABr)

Comentários do Facebook
Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA