• redacao@gazetadoestado.com.br

Política

DEM e PSDB se unem para disputar eleição em outubro

Publicados

em


Após sete anos separados, DEM e PSDB voltam a se aliar na disputa a sucessão de outubro, com o senador Demóstenes Torres (DEM) confirmar para disputar a reeleição ao Senado, o advogado José Eliton Júnior (DEM) na vice e Marconi Perillo (PSDB) homologado para concorrer ao governo de Goiás. A tucana Lucia Vânia também irá compor a chapa ao Senado pela aliança DEM-PSDB.

A decisão foi tomada no início da noite do último dia 30 de junho, prazo máximo para que os partidos políticos apontassem as alianças para a eleição do próximo dia 3 de outubro. Na convenção do Democratas, realizada na Câmara Municipal de Goiânia, milhares de filiados votaram que o partido deveria acompanhar a composição com o PSDB.

“Foi uma decisão democrática, que obedeceu o voto da maioria. Uma prova que o partido escuta seus filiados e entende que é preciso somar esforços para proporcionar o desenvolvimento de Goiás”, afirmou o senador Demóstenes Torres. Em entrevista a jornalistas na tarde daquele dia 30, Demóstenes chegou a dizer que havia conversando com o presidente estadual do partido, deputado Ronaldo Caiado, que defendeu que se respeitasse o voto na convenção.

READ  Avião colide com ave em pleno voo, tem para-brisa destruído e segue rota

“É uma prova que participamos de um partido que, tantos os filiados quando o presidente, respeitam a democracia”, disse Demóstenes. Caiado, por sua vez, defendia abertamente o distanciamento do PSDB e anunciou em discurso e entrevista coletiva que não subirá ao palanque tucano nem pedirá votos para Marconi. “Farei uma campanha só, com minha ética, coerência, dignidade e ao lado dos meus verdadeiros companheiros. Ficarei neutro”.

Caiado disse que não tomaria decisões em benefício próprio e que respeita a solicitação dos aliados. Entretanto, o presidente da legenda pediu compreensão por não subir no mesmo palanque que Marconi Perillo. “Assim como respeito opiniões diferentes, quero que respeitem meu entendimento”, afirmou Caiado.

“Estudar o passado”

O senador Demóstenes Torres afirmou em discurso que os filiados e corregionários da legenda devem estudar o passado. Demóstenes se referia a ação de Marconi Perillo (PSDB) em 2004 para convencer filados do Democratas a deixarem a sigla e ingressarem no PSDB. “Foi estudando o passado que os homens conseguiram corrigir seus erros. Vamos nos lembrar apenas para que a pessoa não cometa mais esse erro”, aconselhou.

READ  Brasileirão, 20ª rodada: números e curiosidades dos jogos dessa quarta

Sobre o palanque, Demóstenes elogiou Ronaldo Caiado por mais de cinco minutos e se emocionou ao dizer as primeiras palavras sobre o correligionário. “Caiado esteve sozinho comigo em 2004, quando achei que poderia ser governador”, justificou a emoção. “Caiado está aqui como estadista e sabe que 80% ou mais do partido quer a coligação com o PSDB. Ele não quer essa coligação, mas sabe respeitar a vontade de todos, o que muitos não sabem”, disse Demóstenes.

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA