• redacao@gazetadoestado.com.br

Política

Depois de ser acusado de jogar a Bíblia fora, Haddad inventa um versículo que nunca existiu

A frase, ?Quem salva uma vida, salva o mundo inteiro?, citada pelo candidato como sendo bíblica, na verdade é apenas um ditado popular, que ficou conhecido por conta do filme ?A Lista de Schindler?.

Publicados

em


O candidato à presidência, Fernando Haddad, parece não dar uma dentro, quando o assunto é cristianismo. Primeiro, sua campanha tentou jogar católicos contra evangélicos, quando na verdade deveria ter um discurso cristão de unidade, também não se posicionou contra o aborto, irritando evangélicos e católicos, mas ainda assim, foi a uma missa, na tentativa de apaziguar sua imagem, porém levou sua vice Manuela Dávila (PSOL), que já havia declarado ser ateia, e juntos comungaram a hóstia sagrada para os católicos.

Em seguida, Haddad fez ataques ao líder evangélico de maior visibilidade no país, Bispo Edir Macedo, atraindo a revolta dos membros da Igreja Universal do Reino de Deus. Não satisfeito, fez pouco caso da Bíblia Sagrada que ganhou em um evento, mas que horas depois foi encontrada no chão e pra completar, em uma entrevista na última segunda-feira, 22 de outubro, ao Roda Viva da TV Cultura, citou a frase, ?Quem salva uma vida, salva o mundo inteiro?, afirmando ser da Bíblia, quando na verdade é apenas um ditado popular, que ficou conhecido por conta do filme, A Lista de Schindler.

READ  Prefeito de Corumbaíba é ficha limpa e pode disputar reeleição

O comportamento do marketing da campanha de Fernando Haddad parece estar sem controle. Ataques sem limite ao concorrente e a todos que o apoiam já é rotina. Ele chegou a afirmar que o apoio da maioria dos eleitores a Bolsonaro foi um delírio.

Por: Adriana Martins

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA