• (62) 3249-8883 / (64) 3453-8883
  • redacao@gazetadoestado.com.br

Economia

Em quais momentos fazer um empréstimo é um bom negócio para a sua empresa?

Qual o melhor banco para MEI? Quais são as circunstâncias que indicam que é melhor pedir um empréstimo?

Publicados

em


Pessoas que têm uma empresa sempre estão em busca de tomar atitudes que as auxiliem a manter os negócios em dia. Como saber qual é o momento ideal para pedir ajuda e quais são os perigos de pedir dinheiro emprestado?

Neste artigo, discutiremos as condições que podem indicar a necessidade de buscar auxílio externo e quais são os prós e contras dessa situação. Confira!

Como saber que é um bom momento para fazer um empréstimo empresarial?

Dado o fato de que estamos falando de uma atitude que implica no surgimento de uma dívida, ela não deve ser decidida de forma leviana.

Boa parte das empresas solicita empréstimos por três razões: necessidade de ter maior capital de giro, desejo de quitar dívidas e vontade de crescer com mais velocidade.

Capital de giro é o conjunto de recursos financeiros que permitem à empresa quitar os valores fixos e variáveis de suas despesas, como produtos em estoque, pagamentos e tudo o que é necessário para o funcionamento da companhia.

Quando há o aumento do capital de giro, tá também o aumento do poder de negociação com fornecedores e possíveis parceiros. Dessa forma, há melhora em todos os âmbitos, inclusive na acessibilidade do consumidor e na quantidade de artigos que podem ser comercializados.

No que tange a parte das dívidas, a situação é a seguinte: às vezes, é preferível quitar valores de fontes diferentes e contrair apenas uma dívida, especialmente se o valor mensal for mais baixo do que a soma das dívidas de outrora.

Se o valor mensal das dívidas diminui, “sobra” mais dinheiro para investir em outras coisas. Se boas atitudes forem tomadas, isso pode significar uma guinada nos negócios e a possibilidade de crescer.

READ  Homem assassina ex-mulher no meio da rua e depois se mata

Após uma avaliação do motivo pelo qual se deseja fazer um empréstimo, é preciso partir para a segunda parte da questão: as condições reais do momento.

 

O cenário econômico é favorável? A previsão de receita para os próximos anos é interessante?

É preciso fazer uma análise financeira real, e verificar se o empréstimo pode ajudar a aumentar as vendas, o faturamento e a qualidade dos serviços.

Se contrair uma dívida significa diminuir a qualidade, pense bem: os clientes não vão se manter fiéis a um serviço que decai, especialmente se precisarem pagar o mesmo valor de outrora para consumi-lo. Mesmo se tiverem que pagar menos, eles podem preferir gastar com concorrentes. Aí mora o perigo.

 

Quais são os tipos de empréstimos para micro e pequenas empresas?

Há diversas opções voltadas para esse público, felizmente. Listamos algumas delas abaixo, para que você possa conhecê-las e pensar quais são as mais adequadas para as suas demandas.

 

Cheque especial
Opção que faz sentido especialmente em casos emergenciais, como quando se contrai dívidas de forma inesperada ou em caso de acidentes. Nesse tipo de empréstimo, as companhias têm acesso a quantidades específicas de dinheiro de forma mais “rápida”, sem necessidade de análises profundas.

É uma das opções de empréstimos com maior taxa de juros no mercado, ou seja: pode ser, com o perdão da expressão, um tiro no pé. Se o desejo é não ter mais dívidas, o cheque especial, se não for bem planejado, pode acabar provocando o efeito rebote.

READ  Aprovada lei que permite a aluno de escola pública fazer vestibular de graça

De novo, deve ser considerado na ocasião de emergências ou quando a empresa estiver diante de uma despesa não esperada.

 

Conta garantida
Outra modalidade de empréstimo indicada para resolver situações pontuais, tem similaridades com o cheque especial. Podemos dizer que se trata de um contrato de abertura de crédito que é fornecido à empresa por uma instituição financeiro.

É conveniente quando há necessidade de neutralizar instabilidades no fluxo de caixa, mas também deve ser escolhida com cautela, uma vez que possui três custos associados: as taxas do CDI, de juros pré-fixada (que é cobrada por dias úteis) e o IOF.

 

Empréstimo garantido
Nessa modalidade, o dono da empresa oferece ao banco um imóvel ou veículo como garantia de seu compromisso para com a dívida que deseja contrair. Dada a seriedade do contrato, há maior possibilidade de que a instituição financeira aceite a oferta.

É uma opção quando a empresa precisa passar por reformulação, está em processo de reforma ou ainda não está devidamente construída, e se destaca entre as modalidades de empréstimo por possuir juros baixos.

 

Microempreendedor individual pode fazer empréstimo?

Para solicitar um empréstimo sendo MEI é preciso comprovar que os valores solicitados serão utilizados para melhorar as condições da empresa.

MEI, desde que regularizado, tem direito a taxa de juros menores para fazer empréstimos. Os valores, no entanto, variam de um banco para outro – daí a necessidade de fazer uma extensa pesquisa entre as instituições.

 

Confira mais em: https://www.azulis.com.br/artigo/melhor-banco-para-abrir-conta-mei

Lucas A. Silva

Comentários do Facebook
Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA