Política

Humberto Teófilo justifica voto contrário ao projeto que trata do transporte público coletivo

Publicado

em


O deputado Delegado Humberto Teófilo (sem partido) usou a tribuna durante a Ordem do Dia da sessão extraordinária híbrida desta segunda-feira, 20, para se posicionar contrário ao projeto de lei nº 8920/21, em fase de primeira discussão e votação na Casa de Leis. Oriunda da Governadoria do Estado, a matéria visa reformular e disciplinar a Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC) da região Metropolitana de Goiânia e reestrutura a Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos e a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC).

O parlamentar afirmou ter recebido o presidente da CMTC, que explicou o projeto. Para o parlamentar, existem, no entanto, pontos divergentes. Por esse motivo, apontou emendas apresentadas à propositura. “Fizemos uma emenda no sentido que as empresas concessionárias deveriam reinvestir 50% dos recursos que forem apurados e aqueles que excederam os custos de operação e que tenham sido transferidos em decorrência das tarifas e subsídios”, enfatizou.

A justificativa, de acordo com o deputado, se dá pelo fato de que a principal reclamação dos usuários do transporte coletivo é relacionada à falta de estrutura dos ônibus coletivos da região Metropolitana. Outro ponto abordado, segundo o parlamentar, é voltado ao tempo de espera. Para isso, sugeriu a limitação para 30 minutos. 

READ  Humberto Aidar abre reunião da Comissão Mista

“Tem gente que sai 3h30 da manhã de casa, para chegar no trabalho às 9 horas. É inadmissível aceitarmos um projeto que está sendo enviado para sanção do governador, sem inserir essas questões”, ponderou Teófilo. “Nós estamos tratando aqui do transporte coletivo da região Metropolitana. Ou seja, estamos mexendo com a vida do usuário que utiliza o transporte coletivo todos os dias”, salientou o parlamentar.

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA