• redacao@gazetadoestado.com.br

Nacional

Metade dos idosos não tomou segunda dose de vacina contra coronavírus

Publicado

em


source
Todos os imunizantes disponíveis no Brasil (CoronaVac, AstraZeneca/Oxford e Pfizer) necessitam de segunda dose
Reprodução/Flickr

Todos os imunizantes disponíveis no Brasil (CoronaVac, AstraZeneca/Oxford e Pfizer) necessitam de segunda dose

Metade dos idosos com mais de 80 anos ainda não foi imunizada com as duas doses da vacina contra a Covid-19 , aponta um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que acompanha o ritmo da imunização após três meses e meio do início do programa.

A faixa etária foi a primeira a ser chamada para a vacinação, e considerando o cronograma dos imunizantes disponíveis no Brasil desde janeiro – CoronaVac , do Butantan, e AstraZeneca/Oxford , da Fiocruz – já deveriam ter recebido a aplicação da segunda dose.

Segundo o estudo, 38% dos idosos entre 70 e 79 anos não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19 . Entre os idosos de 60 a 69 anos, 88% ainda não completaram o cronograma de imunização.

READ  Senado aprova regra que pune constrangimento a amamentação em público

O professor Mário Scheffer, que assina o estudo da UFRJ, repercute que a baixa cobertura vacinal do Brasil se deve à lentidão da imunização , à falta de vacinas e à desinformação sobre a necessidade da segunda dose .

Todos os imunizantes contra a Covid-19 disponíveis no Brasil, incluindo as doses da vacina da Pfizer que começaram a circular nas capitais no início do mês, acompanham um cartão com a data estipulada para a segunda dose . Segundo o professor da USP, é preciso fazer uma busca ativa por pessoas com a segunda dose pendente antes de incluir outros grupos no cronograma.

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA