Política

Paulo Trabalho defende registro de armas para atividades de caça no Brasil

Publicado

em


Segundo deputado a discursar, durante a Ordem do Dia da sessão ordinária híbrida desta terça-feira, 21, Paulo Trabalho (PSL) defendeu o discurso de Henrique Arantes (MDB) em defesa do registro de armas e da atividade exercida pelos colecionadores, atiradores e caçadores no Brasil.

“Também possuo Certificado de Registro (CR), tenho minhas armas registradas e o javali, como Henrique Arantes bem colocou, é uma praga nas lavouras”, disse. “Mas o verdadeiro intuito dessa matéria é desarmar a população de bem deste país, para que talvez no futuro seja possível implantar aqui um comunismo e a população fique totalmente refém”, salientou.

Paulo Trabalho ressaltou que a posse de armas de fogo é essencial para a defesa do cidadão de bem. “Não queremos o embate, não queremos o confronto, não queremos a guerra, mas queremos ser temidos. Porque um povo armado, um povo unido, dificilmente ele será conquistado ou vencido, sem precisar fazer um único disparo, sem precisar empunhar uma única arma de fogo. Mas não mexe com quem está quieto e pode se defender”, ponderou.

O parlamentar defendeu, ainda, o discurso do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). “Bolsonaro fez um discurso belíssimo na ONU. Fez excelentes colocações, colocou o Brasil de antes e o Brasil de agora, projetando um país de futuro”, disse. “Se ele não quer se vacinar, é uma opção dele como cidadão brasileiro que tem a sua liberdade garantida pela Constituição Federal”, ressaltou.

Comentários do Facebook
READ  São Paulo renova contrato com Gabriel Sara até 2024
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA