• (62) 3249-8883 / (64) 3453-8883
  • redacao@gazetadoestado.com.br

Geral

Relações exteriores aprova acordo para reduzir emissão de gases de aquecimento global

Países em desenvolvimento como o Brasil deverão congelar seu consumo até 2024, reduzir seu consumo em 10% até 2029 e em 85% em 2045.

Publicados

em


A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados aprovou acordo para reduzir emissão de gases que impactam o aquecimento global.

A Emenda de Kigali ao Protocolo de Montreal sobre substâncias que destroem a camada de ozônio foi adotada em Kigali (Ruanda) em 2016.

O protocolo de Montreal sobre substâncias que destroem a camada de ozônio foi aprovado em 1987 e promulgado pelo Brasil em 1990, e é o único tratado multilateral sobre temas ambientais com ratificação universal. Pelo tratado, os países signatários comprometem-se a substituir as substâncias que demonstrarem ser responsáveis pela destruição do ozônio, como os clorofluorcarbonos (CFCs) e os hidroclorofluorcarbonos (HCFCs).

A Emenda de Kigali, como ficou conhecida, define um cronograma de redução da produção e consumo dos hidrofluorcarbonos (HFCs). Eles não causam danos à camada de ozônio, porém apresentam elevado impacto ao sistema climático global, e vêm sendo utilizados há décadas como alternativas em substituição aos CFCs e HCFCs. O gás é usado como fluido refrigerante no setor de refrigeração e climatização e também em alguns produtos aerossóis.

READ  Rio Verde ganha nove leitos de UTI

Redução de consumo

Os países desenvolvidos se comprometeram a reduzir seu consumo de HFCs em 10% em 2019 até alcançar 85% em 2036. Países em desenvolvimento como o Brasil deverão congelar seu consumo até 2024, reduzir seu consumo em 10% até 2029 e em 85% em 2045.

O texto do protocolo consta do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 1100/18, que teve origem na Mensagem 308/18, do Poder Executivo. O projeto recebeu parecer favorável do relator, deputado Cesar Souza (PSD-SC).

?A adoção da Emenda de Kigali atende, portanto, a um objetivo maior de defesa da Terra, do meio ambiente, da vida dos seres que o habitam, da natureza?, disse Souza. Segundo ele, a emenda é um esforço da comunidade internacional de enfrentar o aquecimento global e da mudança do clima.

As emissões dos HFCs vêm aumentando globalmente em torno de 8% ao ano, podendo responder por até 19% das emissões de gases de efeito estufa em 2053, de acordo com dados do Secretariado das Nações Unidas para o Ozônio, do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). Sem a Emenda de Kigali, a contribuição do HFC para o aquecimento global poderia por si só provocar um aumento médio da temperatura de 0,5°C, de acordo com a entidade.

READ  Nego Gallo lança 'Veterano' no SESC Pompeia

Tramitação

À proposta tramita em regime de urgência. Isso significa que ela já está pronta para entrar na pauta do Plenário, onde receberá parecer oral das comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

* MSC-308/2018

* PDC-1100/2018

Por: Agência Câmara Notícias

Confira mais notícias no Jornal Gazeta do Estado, jornal impresso com circulação nos Estados de Goiás, Tocantins e Distrito Federal. Publicação de Edital de Protesto, Edital de Intimação, Edital de Notificação, Edital de Desmembramento, Edital de Retificação, Edital de Comunicação, Edital de Licitação, Edital de Pregão, Edital de Proclamas, Balanço e notícias de Goiás, Tocantins e Distrito Federal. O Jornal Gazeta do Estado possui Central de Distribuição em Goiânia, Brasília e Palmas. Fique bem informado, acesse: http://gazetadoestado.com.br 

Comentários do Facebook
Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA