Geral

Saiba como pessoas em situação de rua são atendidas no DF

Publicado

em


“Hoje em dia, tenho onde morar, uma moto, meus filhos estão de volta comigo, tenho um trabalho e atendo pessoas que estão em uma condição na qual já estive”, conta a educadora social Neiva José de Araújo, cidadã que já esteve em situação de rua e, atualmente, realiza um serviço voltado à abordagem a essas pessoas. O depoimento está em A Rua: do Acolhimento à Autonomia, primeira série documental produzida pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

“Acolher, atender às demandas pessoais, fazer os encaminhamentos socioassistenciais e a articulação com toda uma rede de proteção. É isso que a Sedes faz”Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

Com lançamento previsto para quinta-feira (19), Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua, o primeiro de 10 episódios ficará disponível nas redes sociais da pasta. Semanalmente, um novo capítulo vai dar sequência à série, que descreve os serviços executados pela Sedes para atender a esse público e conta histórias de superação, como a de Neiva.

READ  Avaí vence o Cascavel e avança na Copa do Brasil

“Acolher, atender às demandas pessoais, fazer os encaminhamentos socioassistenciais e a articulação com toda uma rede de proteção. É isso que a Sedes faz”, explica a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. “Porém, ainda existe um consciente coletivo de que a pasta retira compulsoriamente pessoas das ruas. Não é esse o nosso trabalho”, completa.

Ao longo dos episódios, o espectador vai entender a lógica da abordagem social de rua, conhecer o cotidiano nas casas de passagem e perceber a diferença delas para as repúblicas, compreender o funcionamento dos Centros Pops, por exemplo, entre outras peculiaridades desse trabalho.

A série documental poderá ser vista nas redes sociais da Sedes, com um episódio por semana | Arte: Sedes-DF

Antes de ser lançado o documentário, o tema será debatido pelo mobilizador social Rogério Barba, que viveu por mais de 20 anos em situação de rua, e o gerente de Abordagem Social da Sedes, André Santoro. A discussão ocorre dentro do Sedes Podcast, que vai ao ar ao vivo a partir das 15h desta quarta-feira (18), via @sedes_df, no Instagram.

O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Sedes, oferece quase 90 possibilidades em serviço de acolhimento, gerando cerca de 2 mil vagas para crianças, adolescentes, adultos ou famílias, em locais onde as equipes buscam a reinserção social e o protagonismo pessoal de cada um dos moradores.

READ  Goiás vai implantar vigilância à saúde de pessoas expostas a agrotóxicos

19 de agosto

O Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua é ressaltado em memória ao Massacre da Sé, em 2004, quando sete pessoas foram assassinadas e oito ficaram gravemente feridas enquanto dormiam na região da Praça da Sé, capital paulista.

O fato desencadeou o início da mobilização de grupos da população em situação de rua para construir o Movimento Nacional da População de Rua, em uma contínua luta pela garantia de direitos.

Serviço
A Rua: do Acolhimento à Autonomia
Episódios todas as quintas-feiras a partir de 19 de agosto
Onde assistir: no Instagram @sedes_df, no Facebook e no YouTube da Sedes-DF

Fonte: Governo DF

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA