Cidades

Saneago e grandes empresas do País debatem preservação da água

Publicado

em


O presidente da Saneago, Ricardo Soavinski, participou na última sexta-feira (15), de debate sobre mudanças climáticas. Com a presença de diretores de grandes empresas, de diversos setores, o evento teve como tema a “resiliência hídrica e energética”. A primeira parte do debate foi transmitida ao vivo pelo canal do YouTube da Rede Brasil do Pacto Global, uma agência da Organização das Nações Unidas (ONU). 

Ao longo da programação, foram abordados temas como escassez hídrica, universalização do acesso ao saneamento, criação de ações coletivas, investimento em soluções baseadas na natureza e crise energética. O evento ocorre em um contexto de duras mudanças climáticas, que têm ameaçado fortemente a sociedade e a economia mundial. 

Cada vez mais são percebidas alterações no ciclo da água, com fortes chuvas e enchentes em algumas regiões, enquanto há períodos de estiagem e secas prolongadas em outras. A intenção da iniciativa é unir empresas com o propósito de promover soluções e adaptações que garantam a sobrevivência dos negócios a longo prazo, por meio do diálogo entre líderes empresariais e especialistas.

READ  Goiás tem saldo positivo na geração de empregos pelo quinto mês consecutivo, em 2021

Na oportunidade, Soavinksi destacou a importância do desenvolvimento de ações de recuperação das bacias hidrográficas, um dos principais focos de apoio da Saneago atualmente. “O que vemos no dia a dia é a velocidade da destruição, atingindo várias bacias e mananciais de abastecimento. Esta velocidade é muito grande em comparação à proteção e recuperação. Por outro lado, o custo de proteção é menor que o de recuperação”, afirmou. 

O presidente lembrou ainda que a perda de vazão nos mananciais faz com que empresas precisem investir fortemente na busca de alternativas no fornecimento de água, que muitas vezes não solucionam totalmente os problemas de escassez hídrica. “Não é um problema apenas do futuro, já estamos passando por ele. E isso não é por conta da falta de estrutura ‘cinza’ e sim da ‘verde’. Então é necessário proteger”, declarou.

Como resultado das discussões, está sendo elaborada uma carta com orientações para a melhoria da qualidade da água em todos os seus usos. O documento, chamado de Pacto pela Resiliência Hídrica e Energética, estabelece princípios e mecanismos de gestão integrada dos recursos hídricos e de proteção e restauração de ecossistemas relacionados à água.

READ  Goiás tem 23.714 mortos e 876.467 contaminados

Além da Saneago, participaram também líderes e de diretores executivos da Aegea Saneamento, Banco do Brasil, Braskem, Cervejaria Ambev, Coca-Cola América Latina, Copasa, Falconi, Enel Brasil, Grupo Boticário, Itaipu, Klabin, Petrobrás, Sanasa, Sanepar, Schneider Electric, Siemens do Brasil e Votorantin Energia.

Fonte: Saneago – Governo de Goiás

Fonte: Governo GO

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA