Política

Tecnologia foi tema central da 24ª Conferência da Unale

Publicado

em


Os últimos dois dias da 24ª Conferência da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), realizada em Campo Grande (MS), foi marcada pela eleição da nova composição da diretoria da entidade e subentidades, além de discussão sobre a integração da retomada das atividades, após a pandemia, com as ferramentas tecnológicas adotadas durante o distanciamento social.

Entre as eleições realizadas estão a do Colegiado de Presidentes das Assembleias Legislativas: o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deputado Lissauer Vieira (PSB), passou a presidência, após dois anos, para o presidente da Assembleia de Rondônia, deputado Alex Redano (PRB).

Já a Unale passa a ser presidida pelo deputado Lídio Lopes (Patriota – MS). Também integram a nova mesa diretora a deputada Ivana Bastos (BA) – até, então, presidente da entidade -, Diogo Moraes (PE), José Luis Tchê (AC), Tia Ju (RJ), Gabriel Picanço (RR), Adjuto Afonso (AM) e Ernani Polo (RS) entre outros parlamentares que ocuparão os demais cargos da diretoria executiva. A gestão tem duração de um ano.

Avaliação do evento

A 24ª Conferência da Unale é considerada a mais tecnológica da história, principalmente pela possibilidade de participação remota, através de sistemas que garantem a realização das atividades no modelo híbrido. De acordo com o presidente da Alego, Lissauer Vieira, o formato é um espelho das soluções encontradas pelas assembleias legislativas e a troca de experiências entre elas, que garantiram a continuidade dos trabalhos parlamentares durante o período de pandemia. Esse também foi o tema de maior debate entre os conferencistas.

“Apesar de todas as dificuldades, em relação à saúde pública e impactos nas mais diversas áreas, a pandemia nos deixou uma ferramenta importante, que é a tecnologia”, disse. O debate sobre a adaptação dos formatos de trabalho advindos com o período de maior distanciamento social e a retomada das atividades presenciais permeou os principais debates, tendo a avaliação do surgimento de um novo modelo de trabalho como conclusão quase unânime entre os participantes. “Nós podemos usar a tecnologia para poder beneficiar nossa sociedade”, avaliou o presidente da Alego.

READ  Fiscais da Central de Fiscalização e Combate à Covid-19 encerram festa em bar no Setor Oeste, neste domingo (27/02)

Lissauer acredita que os avanços da Unale e do Colegiado de Presidentes, nesta nova gestão, também devem buscar o fortalecimento do papel representativo das Assembleias. “Trabalhamos bem, ao longo dos últimos dois anos, mesmo com todas as dificuldades que tivemos, mas nos reinventamos e essa 24ª Conferência demonstra muito isso. Como presidente do Colegiado [de Presidentes] e junto com a presidente da Unale, Ivana Bastos, tivemos trocas de experiências, novas votações, retomada das atividades e, agora, o colega de Rondônia, deputado Alex Redano, vai assumir e tenho a certeza que fará um trabalho em parceria com a entidade maior que é a Unale para fortalecer cada vez mais esse braço da entidade.”

Prêmio Assembleia Cidadã

A Alego concorreu, ainda, ao Prêmio Assembleia Cidadã, com o projeto Politizar. As votações para o concurso ocorreram até essa sexta-feira, 26 de novembro, na modalidade presencial para membros da Unale e parlamentares que prestigiarem o evento. No entanto, a grande vencedora foi Assembleia Legislativa de Pernambuco, com o projeto Lideralepe, que busca a formação de lideranças, em todos os segmentos, no estado.

A entrega da premiação foi realizada no fim da manhã desta sexta. A Alego também recebeu premiação por figurar entre as três finalistas na categoria “Projetos Especiais”.

READ  Atividade econômica cai 0,40% em outubro, diz Banco Central

Debates

Intensos debates também marcaram os últimos dias de conferência. Em um deles, o economista Alexandre Schwartsman abordou o cenário econômico brasileiro e mundial, trazendo temas importantes como inflação, valor do dólar e impacto, em especial na inflação no Brasil.

Também presente no evento, a ministra de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, discutiu os resultados alcançados pelo agronegócio, mesmo durante o período de pandemia. E considerou as exportações como essenciais para os resultados econômicos brasileiro. Taxa de câmbio, seguro rural e desmatamento também estiveram na pauta do painel.

Pouco mais tarde, a consultora em comunicação política na estratégia parlamentar, Gisele Meter, apresentou metodologias e estratégias de atuação nas redes sociais, tendo como foco a aproximação do período eleitoral.

Em seguida, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, participou virtualmente do debate “Código eleitoral: Principais alterações e como podem impactar nas campanhas”, juntamente, com o procurador do Estado de Pernambuco e especialista em Direito Eleitoral, Valber Agra, que comandou o painel de forma presencial. Modificações no fundo partidário, propaganda política, legitimidade eleitoral e atuação do TSE estiveram entre as principais questões abordadas.

Balanço da Unale

Estimativa preliminar da Unale aponta que, aproximadamente, 30 mil pessoas devem ter participado, somados os formatos virtual e presencial, dessa 24ª edição da Conferência, que celebra os 25 anos da entidade. O evento teve como tema “Redesenhando os caminhos do Parlamento” e marca o retorno das programação de conferências da Unale, após a suspensão devido à pandemia do novo coronavírus.

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA