Política

Alta produtividade no ensino

Publicado

em


Em 2021, a Escola do Legislativo do Parlamento goiano precisou dar continuidade a um amplo processo de adaptação que teve início no ano anterior, dadas as limitações impostas pela pandemia do novo coronavírus. No ano passado, as atividades da Escola do Legislativo foram aprimoradas para atender às necessidades do “novo normal”. Em decorrência da continuidade da pandemia de covid-19, o calendário precisou ser repensado para continuar oferecendo capacitação aos servidores. 

Em dezembro, a Seção Administrativa da Escola do Legislativo publicou o relatório anual de atividades da instituição. Produzido pelo chefe do referido departamento, Hernesto Pimentel, com a colaboração das demais seções que integram a equipe técnica da Escola, o documento presta contas sobre as diversas áreas de atuação da Escola. 

De acordo com o relatório, foram realizadas 18 atividades de capacitação de servidores, totalizando 21 turmas, todas de forma remota. Além disso, por acontecerem de maneira on-line, as atividades foram abertas ao público em geral, que, inclusive, pôde receber certificados de participação. Nas 50 horas/aula oferecidas pela Escola ao longo do ano, 268 alunos emitiram certificados.

O diretor da instituição, Teófilo Luiz dos Santos, enfatiza que promover ações para a capacitação dos servidores e para aproximação com a sociedade, por meio da educação, são algumas das principais razões da existência da Escola do Legislativo. O diretor acrescenta que a integração com outras Casas Legislativas também está entre os propósitos previstos pela Resolução que normatiza as atividades da instituição. “Atuamos em todas essas frentes, apesar dos desafios de 2021, que nos impediram de retornar às atividades presenciais”, completa Teófilo.

Projeto pedagógico de 2021

Foi em meio a esses desafios que a pesquisadora legislativa Milena Alves assumiu a chefia da Seção Pedagógica da organização. Ela viu nessa nova função uma oportunidade de contribuir para as adaptações da Escola ao novo cenário da educação corporativa. “Assumi a chefia em fevereiro do ano de 2021 e isso representou um desafio muito grande. Tive que desenvolver novas competências para atender às exigências da função nesse momento de alta complexidade”, relembra Milena.

A chefe da Seção Pedagógica explica que, assim como havia sido planejado em 2020, as atividades presenciais continuaram suspensas e os eventos migraram para plataformas on-line, como o YouTube, o que permitiu a realização de rápidas atividades de capacitação, com o público podendo acessá-las a qualquer momento. Segundo os dados apresentados no relatório, até o momento de elaboração do documento foram contabilizadas 701 visualizações nessas transmissões. Os materiais permanecem acessíveis ao público na internet

Dentre as atividades realizadas em 2021, Milena destaca um dos convênios celebrados. “Acredito que a atividade mais relevante para a Seção Pedagógica foi o sucesso no convênio com a Escola de Governo do Estado de Goiás, realizada por intermédio da Seção Administrativa da Escola”. Ela considera que a parceria confere maior diversidade e qualidade às capacitações, já que agora os conteúdos ministrados na Escola de Governo do Poder Executivo também estão disponíveis para os servidores da Alego.

READ  Deputado Talles Barreto defende promoção para militares com 30 anos de serviço na corporação

O relatório anual da Escola aponta que a celebração desse convênio foi resultado de tratativas que estavam em curso desde 2015. O referido acordo de cooperação já “rendeu quase 40 vagas em cursos e quase 100 horas/aula, todos cursos com elevada qualidade e sem custos para a Alego”, destrincha o documento.

Atividades de integração

Como um dos pilares da Escola Legislativa, as parcerias institucionais foram priorizadas no ano passado. Foram 12 convênios vigentes em 2021. Por exemplo, a Escola renovou o convênio com o Instituto Legislativo Brasileiro (ILB), que é a Escola do Senado Federal e também oferece inúmeras vagas em seu portfólio de cursos. 

Outros Convênios Educacionais Vigentes

1. Universidade Federal de Goiás (UFG) – Projeto Politizar

2. Convênio Universidade Federal de Goiás (UFG), para cooperação no Programa de Pós-Graduação em Direito e Políticas Públicas, nível de Mestrado

3. ILB – Instituto Legislativo Brasileiro – Escola de Governo do Senado Federal

4. Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas (Abel)

5. Faculdade Tecnológica de Anápolis (FTA)

6. Faculdade Sul-Americana (FASAM)

7. Faculdade e Colégio Delta

8. Defensoria Pública do Estado de Goiás (DEP-GO)

9. Instituto Leopoldo de Bulhões, Escola de Contas do Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO)

10. Escola de Contas do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-GO)

11. Escola Superior da Polícia Civil do Estado de Goiás (ESPC-GO)

No que se refere à integração com outras escolas, a unidade participou da 24ª Conferência Nacional da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale). O encontro foi realizado entre os dias 23 e 26 de novembro, em Campo Grande (MS). “Assim como em 2020, trabalhamos para continuar ampliando a troca de vagas em atividades realizadas pelas demais Escolas de Governo que fazem parte da rede de escolas formada pela Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas (Abel)”, ressalta o relatório.

Já no campo da aproximação entre a Alego e a sociedade, a participação da Escola do Legislativo no programa itinerante Alego Ativa é uma das suas principais frentes. O evento, que em 2021 foi realizado nas cidades de Goianira, Morrinhos, Jataí e Hidrolândia, oferece diversos serviços gratuitos à população local, como confecção de documentos, cortes de cabelo e qualificação profissional.

A Escola do Legislativo esteve em todas as edições realizadas, nas quais realizou palestras com temas variados, sempre voltados ao aprimoramento de habilidades para o trabalho. Nas atividades oferecidas pela Escola nas edições do Alego Ativa, o público pôde obter conhecimentos em áreas como fotografia, primeiros socorros, oratória, empreendedorismo e atendimento ao público.

Educação para a cidadania

Devido à pandemia, a maior parte das atividades da Seção de Educação para a Cidadania foram inviabilizadas devido ao distanciamento social. Assim, não foi possível realizar as palestras e visitas presenciais na Alego. Contudo, o projeto Politizar obteve ótimos resultados. O Politizar é desenvolvido pela Alego em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG). “Seu propósito é fazer com que jovens cidadãos aprofundem os conhecimentos sobre o Poder Legislativo e se aproximem do fazer legislativo, por meio de uma simulação da atividade do parlamentar”, descreve o registro.

READ  Corrida da Solidariedade

Na prática, o Politizar oportuniza que estudantes de diferentes áreas atuem como deputados estaduais, assessores parlamentares e também jornalistas políticos. Mesmo com a impossibilidade de realizar a etapa de simulação (atividade presencial), a situação foi contornada pela instituição, que não mediu esforços para criar alternativas para o projeto. 

Algumas das mídias criadas foram o podcast Politizar; a série Politizar Comunidades Tradicionais; o Politizar Games; o Politizar HQ; o Politizar-San Rural e o Advocacy Mulheres. Assim, a Alego conseguiu levar à comunidade externa educação cívica, aulas e palestras acerca do poder público, atendimento ao cidadão, entretenimento com conteúdo educativo e oficinas de qualificação. 

Perspectivas para 2022

Em suma, o saldo do ano de 2021 encerra positivo, com projetos a pleno vapor e a superação de obstáculos que incentivaram a instituição a se reinventar a cada dificuldade. Para o próximo ano, além de dar continuidade ao trabalho que já acontece, a responsável pela Seção Pedagógica destaca que possui planos otimistas.

“Temos o primeiro semestre do ano de 2022 completamente planejado. Pretendemos oferecer os cursos mais solicitados na Pesquisa de Demanda de Capacitação para o Planejamento das Atividades de Capacitação do Biênio 21/22 da Escola do Legislativo, que foi realizada nos meses de maio e junho do ano de 2021, além de demandas específicas que surgirem advindas dos departamentos da Casa”, conta Milena.

A servidora também adianta que a Seção Pedagógica está realizando o planejamento, em parceria com a Assessoria Adjunta de Finanças, e estuda a contratação de curso que verse sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e, futuramente, sobre a nova Lei de Licitações e Contratos. 

Outra novidade prevista é o início de uma parceria com o Programa de Pós-Graduação de Direitos Humanos da Universidade Federal de Goiás para palestras, oficinas e minicursos. A gestora também confirma a continuidade de todos os projetos realizados on-line, como as palestras veiculadas pelo YouTube. Afinal, esse formato se consolidou como uma alternativa que atinge um público mais amplo, estendendo as atividades da Escola para além dos servidores, e democratizando cada vez mais o acesso à educação legislativa.

“Para os anos seguintes, a tendência é de que mantenhamos as atividades em formato remoto em conjunto com as atividades presenciais, retomando e potencializando as atividades de educação para cidadania, como os projetos Politizar e Escola no Legislativo”, conclui o relatório. 

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA